Rede Privada de Telecomunicações do Tribunal Regional Federal da 2ª Região – Rio de Janeiro (TRF-2)

Tribunal Regional Federal da 2ª Região no Estado do Rio de Janeiro (TRF2-RJ) tinha importantes projetos estratégicos em todo o estado e, em 2012, deu início à implantação desses projetos, o que intensificou o uso de sua rede de dados e exigiu um grande aumento de capacidade e melhorias na sua qualidade e disponibilidade. No entanto, a rede pública que o TRF2-RJ vinha utilizando não era capaz de prover tais aumentos e melhorias e isso impedia a implementação de projetos importantes para a Justiça Federal, tais como:

  • Processo Judicial Eletrônico (PJe);
  • Videoconferência Real Presence;
  • Comunicação via Microsoft Skype for Business;
  • Telefonia IP;
  • Gravação de audiências;
  • Educação corporativa;
  • Sistema de expedientes;
  • Processos administrativos;
  • Digitalização de autos judiciais;
  • Plataformas de CFTV;
  • Replicação no data center de arquivos distribuídos;
  • Armazenamento externo na nuvem.

Com a interligação entre seu data center e as localidades da Seção Judiciárias do Rio de Janeiro, feita por meio de uma rede totalmente privada fornecida pela GigaCom, todos os projetos estratégicos puderam ser implantados com absoluto sucesso. A totalidade da banda instalada da rede é compartilhada apenas pelas localidades do TRF2-RJ, garantindo, assim, uma capacidade de 100 Mbps em cada uma dessas localidades e um agregado de 2,5 Gbps no seu data center, tudo com disponibilidades mensais acima de 99,90%, além de ser protegida contra ataques cibernéticos.

Rede Privada de Telecomunicações do Tribunal Regional Federal da 3ª Região – São Paulo (TRF-3)

Tribunal Regional Federal da 3ª Região no Estado de São Paulo (TRF3-SP) foi o pioneiro no Brasil na utilização de redes privadas de dados para interligar prédios. Desde 2006, o TRF3-SP vem utilizando infraestrutura própria nas conexões entre fóruns federais e subseções judiciarias na capital e cidades vizinhas. A partir de 2012, o TRF3-SP resolveu aplicar a mesma solução no interior do estado, de modo a contar com as mesmas capacidades – da ordem de 100 e 200 Mbps que já vinha utilizando na região metropolitana da capital – e também com a mesma alta disponibilidade, em oposição às baixas capacidades e disponibilidade fornecidas pela rede pública utilizada até então no interior do estado.

Graças à celeridade promovida por sua Rede Privada de Telecomunicações, em 2017 o TRF3-SP chegou a marca impactante de 100 mil processos em tramitação simultânea. O sistema que permite a prática de todos os atos processuais de forma eletrônica passa, ao mesmo tempo, por um profundo processo de expansão e evolução, que inclui a sua implantação em toda a 3ª Região.